A cultura Indígena: a arte literária na sala de aula

Texto por Alcione Pauli. Adaptação Rodrigo Silva

 

A literatura indígena é tão rica quanto negligenciada.

Respeitar as vozes ancestrais e a jovem escrita indígena deve ser um dever e um compromisso da escola hoje. Os textos ricos em ensinamentos, as descobertas e potencialidades desta arte tão rica, a relação entre expressão e conteúdo, os códigos culturais, a importância da oralidade e como tudo isso pode enriquecer o currículo escolar de literatura é uma contribuição que a arte indígena pode dar à escola e ao aluno contemporâneos. 

A cultura indígena em edições literárias toma corpo somente em 2004, por isso, pode-se compreendê-la como uma voz jovem no meio editorial, principalmente. Todavia, são também ancestrais, pois as memórias desses escritores estão conectadas com suas histórias – que, passadas de geração em geração, garantiram sua presença através da oralidade.

Para garantir que a arte de nossos povos originários estivesse contemplada em sala de aula, a lei n. 11.645/2008 buscou assegurar o ensino e conhecimento da cultura e da literatura indígena nos currículos escolares. Permitindo assim que o processo de apropriação da leitura, da literatura e da reflexão sobre essa escrita, cujos parâmetros e olhares são muito diversos dos procedimentos ocidentais, fosse experimentada pelo alunos de hoje. 

Quer saber um pouco mais sobre essa cultura e suas manifestações artísticas, veja os dois escritores que separamos para você. São nomes consagrados que compõe o acervo da literatura indígena:

Eliane Potiguara é uma professora, escritora, ativista e empreendedora indígena brasileira. Fundadora da Rede Grumin de Mulheres Indígenas. Foi uma das 52 brasileiras indicadas para o projeto internacional “Mil Mulheres para o Prêmio Nobel da Paz“.

Algumas de suas obras: Metade Cara, Metade Máscara (2004); O Coco que Guardava a Noite (2004); O Pássaro Encantado (2014); A Cura da Terra (2015)

Para saber mais da autora e de suas obras: clique aqui

Daniel Munduruku é escritor e professor brasileiro e pertence à etnia indígena mundurucu. É graduado em filosofia, história e psicologia. Tem mestrado em antropologia social pela Universidade de São Paulo. É doutor em educação pela Universidade de São Paulo. É Diretor-Presidente do Instituto Uk´a – Casa dos Saberes Ancestrais. Como escritor, se destaca na área da literatura infantil. É membro da Academia de Letras de Lorena. Recebeu a Comenda do mérito cultural por duas vezes. Já recebeu vários prêmios no Brasil e no exterior: Jabuti, da Brasileira de Letras, Érico Vanucci Mendes (CNPq), Tolerância (UNESCO).

Para saber mais do autor e de suas obras: clique aqui 

Quer saber mais? Dá uma olhadinha no nosso curso de Literatura Indígena.